sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Quantas tardes para mudar meu destino?

Quase apertei o reset do mundo que me meti.
Se eu puder vou atingir com uma pedra alguém que aperta meu coração com um espremedor de batatas.

A chuva cai.
A paisagem não muda.
Uma ópera para ela entender que nunca serei perfeito.
A perfeição é para os fracos, os frascos de perfume e os escritos de um poeta andarilho.
Para um bom leitor dessa época efêmera que vivemos "dependendo do que se pretende atingir, pode-se alcançar a perfeição se o dinheiro investido for um dinheiro bom".

Tá um pouco-meio sem sentido?
Tudo bem. Eu escrevi isso aqui pra mim!

E não me chame de Narcisista.

Nenhum comentário: