domingo, 30 de agosto de 2009

Dodôs *

Hoje passou um vulto aqui em minha casa
Eu...
a dialogar com o vazio deste espaço que digo meu...
mastiguei o silêncio
Tornei a avistar o vulto
Nem não tive medo
Eu pensava em ti e nas outras três criaturas que tanto amo...
Refletia sobre a concha de retalhos tão colorida e incerta que é esse nosso viver
Eita!
Saudade é bem mais que só uma espécie de velhice...
Saudade é uma cicatriz que me acompanha no corpo, na alma e coração desde antes de eu entender que o mundo é um zig-zag feito de tinta guash, canetinha e giz de cera.
E a gente?!
Uh! Eh! Ah!
A gente é um cisco que caiu no olho de quem pinta o desenho
E a cada sopro no olho dela pra nos tirar de lá, a gente escorrega no que os poetas um dia intitularam DESTINO.

* Termo criado por Thais Machado, aos 11 meses de vida, que quer dizer mais ou menos: irmãozinhos amados meus.

Um comentário:

Anônimo disse...

Esse vulto vive passando por aqui. Ele me faz gastar energias tentando lembrar de mais momentos da infancia em que eu tive meus quatro dodos por perto. O destino foi severo com a gente e permitiu que esse amor todo enfrente uma distancia considerável. Mas talvez seja necessário pra que os nossos coraçoes fiquem apertados de verdade e façam nossos olhos perceberem o grande amor que há entre nós. "Porque todo grande amor, só é bem grande se for triste".
Te amo. Imensamente.